top of page
  • Foto do escritorLeite Materno

O que deve saber antes do parto...

Atualizado: 5 de mar. de 2023


As causas dos problemas que algumas mulheres têm com a amamentação, e que as levam a desistir de amamentar, são a falta de informação, a falta de apoio, de experiência e de conhecimentos técnicos. Por isso, os meses de gravidez são a época ideal para ler e aprender o mais que puder sobre amamentação.

É importante saber que...

  • O seu leite é o melhor alimento para o seu filho.

  • O tamanho e formato da mama não importam – tanto as mamas pequenas como as grandes produzem leite adequado e em quantidade suficiente.

  • O melhor momento para começar a amamentar é durante a primeira hora depois do parto. Os bebés, quando nascem, estão muito despertos e a sua necessidade de sucção é muito intensa. Se nesse momento o bebé for colocado ao peito ele aprenderá a mamar corretamente. Passadas duas horas depois de ter nascido, o bebé entra num estado de letargia que pode durar até doze horas. Nessa altura é mais difícil para o bebé aprender a mamar corretamente, ao passo que os bebés que já aprenderam a fazê-lo, reproduzem com facilidade a técnica e normalmente são capazes de alimentar-se sem problemas. Se não existe nenhuma patologia, todas as mulheres podem iniciar o aleitamento materno imediatamente após o parto, quer tenha sido parto por via vaginal, quer tenha sido cesariana.

  • Mantenha o bebé ao seu lado nas primeiras horas após o parto.

  • Deixe o bebé mamar em regime livre (sempre que o bebé quiser e durante todo o tempo que ele quiser) desde o primeiro dia.

  • Não dê ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser por indicação expressa do médico (os bebés em aleitamento materno exclusivo não precisam de água nem de “chás”).

  • Os bebés precisam de tempo e de prática para aprender a mamar com eficácia; quantas mais oportunidades tenham para mamar, mais cedo aprenderão.

  • Não dê chupeta nem biberão ao bebé no primeiro mês de vida (nem mesmo as chupetas ditas “fisiológicas”). O uso de chupeta e tetina durante o primeiro mês de vida pode confundir a sucção dos bebés, porque o movimento da língua, das bochechas e do maxilar é diferente. Está demonstrado que o uso de chupeta prejudica a amamentação [1]. As crianças amamentadas não necessitam de chupeta nem de biberão.

  • Os recém-nascidos perdem algum peso nos primeiros dias de vida (cerca de 10% do peso com que nasceram). Isto é normal e não quer dizer que o seu leite seja fraco.

  • Nos primeiros 2 a 7 dias após o parto as mamas produzem colostro. O colostro é amarelo e mais espesso do que o leite maduro e é produzido em pequenas quantidades. Contém mais anticorpos e mais glóbulos brancos do que o leite maduro e assim protege o bebé contra a maior parte das bactérias e vírus. O colostro é laxante e ajuda o recém-nascido a eliminar o mecónio (as primeiras fezes muito escuras do bebé). Isto ajuda a evitar a icterícia. O colostro é exatamente o que o bebé precisa nos primeiros dias!

  • Todas as mães ficam mais emotivas e sensíveis durante algumas semanas depois do parto. Nesta fase é normal sentir algumas dificuldades na amamentação. Seja persistente e não desista. Essas dificuldades desaparecem com o tempo, à medida que vai ganhando prática a amamentar.

  • As primeiras semanas após o parto são muito importantes para a amamentação. Procure alguém que a ajude nas tarefas domésticas, durante essas semanas, para que você se possa dedicar inteiramente ao seu bebé.


A OMS (Organização Mundial de Saúde) e a UNICEF, são organizações de referência para a defesa de uma boa saúde e dos direitos das crianças, e fornecem recomendações muito importantes sobre o que é necessário fazer para amamentar com sucesso.

Veja este breve vídeo, com o essencial.




48 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2_Post
bottom of page